Mauro Mendes agride jornalista em evento da AMM

Parece que virou rotina, jornalistas serem agredidos no desempenho de suas funções,  temos o recente episódio em que o presidente Jair Bolsonaro respondeu  rispidamente e com sarcasmo a pergunta de uma jornalista da rede globo, Tivemos recentemente o caso do  jornalista Adécio Piram dono do único jornal de Novo progresso PA, que foi ameaçado de morte por madeireiros, após denunciar o caso que ficou conhecido internacionalmente como “O dia do Fogo” , no nosso estado temos a recente agressão física a reporte Elissa Neves da TV Independência de Barra do Bugres, pelo prefeito da cidade Wilson Francelino. Quando ela fazia a cobertura jornalística de um evento promovido pela própria prefeitura, no momento que a profissional tentou entrevista-lo, ele a atacou covardemente com empurrões, palavras e chegou até mesmo a apertar seu pescoço.

Agora foi a vez do jornalista Pablo Rodrigues, ser atacado pelo truculento governador de Mato grosso, Mauro Mendes com tapas no peito e uma torção no braço, na manhã desta segunda feira, 18., na Associação Mato-grossense dos Municípios (AMM), quando o jornalista fazia a cobertura ao encontro municipalista.

A violência foi praticada ao término de uma conversa informal do governador com jornalistas, no hall de entrada do auditório da AMM. Muitas pessoas presenciaram o ato covarde do governador, mas nada fizeram em defesa do reporte. A conversa de Mauro Mendes com os jornalistas transcorria tranquila, até que Pablo o questionou sobre recente decisão do juiz da 7ª Vara Federal em Cuiabá, Paulo César Alves Sodré, que acolheu denúncia do Ministério Público Federal (MPF) e o tornou réu numa ação sobre a compra de um apartamento, em leilão judicial, fato que resultou na aposentaria compulsória da juíza do Trabalho, Carla Reita Faria Leal, também ré na mesma ação. O MPF vê irregularidade nessa compra, motivo que o levou a denunciá-lo por crime de falsidade ideológica.

Pablo perguntou o que ele fará agora que é réu nessa ação. Questionou o jornalista. Antes mesmo de terminar a pergunta, Mauro Mendes respondeu que faria do mesmo modo que faz (o jornal) A Gazeta (do Grupo Gazeta de Comunicação) para o qual o jornalista trabalha na editoria Política. Respondeu rispidamente o governador, e deu dois tapas no peito do entrevistador. Pablo insistiu, a o entrevistado manteve o tom ríspido, torceu seu braço direito e saiu.

Os fatos acima mencionados mostram o quanto os profissionais da comunicação, tem sido desrespeitados ao desenvolverem suas funções. Isso é bastante incomodo para a liberdade de imprensa. Se continuar assim, estaremos caminhado à passos largos para um novo tipo de censura, “o da intimidação”.

José carlos Garcia/redação

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *