TSE abre inquérito contra Bolsonaro

Às vésperas da eleição que lhe daria a Presidência, Bolsonaro já questionava o sistema eleitoral – o mesmo que o elegeu deputado federal sete vezes. Como presidente, seguiu a ofensiva, sobretudo contra a urna eletrônica. “Nunca houve uma prática tão serial de ataques às instituições”, diz Conrado Hubner Mendes, professor de Direito Constitucional da USP e doutor em Ciência Política. Em conversa com Natuza Nery, Conrado analisa a atuação “omissa” do Procurador-Geral da RepúblicaAugusto Aras, como peça chave para a estratégia bolsonarista de manter seu eleitorado coeso. “Ele já cruzou todas as linhas possíveis. Bolsonaro está em um jogo de tudo ou nada e qualquer concessão o prejudicará em 2022”. A crise institucional chegou ao ápice na live presidencial da última quinta-feira, quando Bolsonaro reforçou o discurso de fraude eleitoral e, novamente, ameaçou não haver eleições sem voto impresso. Contudo, pela primeira vez, houve reação para além das notas de repúdio: o TSE aprovou, por unanimidade, a abertura de inquérito contra o presidente.

G1

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *