Hospital no RS aluga contêiner para colocar vítimas de Covid-19


source
Com 100% dos leitos ocupados, hospital no Sul aluga contêiner para acomodar corpos de vítimas da Covid-19
Reprodução Jornal do Comércio

Com 100% dos leitos ocupados, hospital no Sul aluga contêiner para acomodar corpos de vítimas da Covid-19

Vivendo o ápice de casos e óbitos desde o início da pandemia do novo coronavírus (Sars-Cov-2) , o hospital Moinhos de Vento, o maior da rede privada no Rio Grande do Sul, alugou um contêiner para acomodar as vítimas da doença.

A revelação foi feita pelo superintendente médico do hospital, Luiz Antônio Nasi, que deu detalhes da “situação calamitosa ” vivida na unidade:

“É um campo de guerra. Todo mundo sendo mobilizado no hospital, médicos, anestesistas, enfermeiros de todas as áreas. Estamos, realmente, com uma situação calamitosa”, declarou em entrevista à GloboNews.

A taxa de ocupação de leitos de UTI no Moinhos de Vento é de 119,7%, sendo que 35% dos pacientes são menores de 60 anos de idade, reflexo do relaxamento da população mais jovem em relação às regras de isolamento social.

Assim como em todo o país, o Rio Grande do Sul enfrenta um colapso do sistema de saúde. 100,5% de todos os leitos na capital estão ocupados. 

Você viu?

No hospital Moinhos de vento, a crítica situação enfrentada, levou a direção da unidade a alugar um contêiner como “medida preventiva”.

“A nossa lista do morgue (onde os cadáveres são acomodados nos hospitais) ultrapassou a capacidade. Estamos contratando um contêiner para poder colocar as vítimas”, relata Nasi.

O hospital , por sua vez, afirma que em primeiro momento, não usará o contêiner, e que a estrutura comporta a situação atual:

“Será utilizado somente em caso de real necessidade, considerando a possibilidade de atrasos na retirada dos óbitos por parte das funerárias, realidade essa percebida em outras cidades do Brasil e do mundo. A estrutura atual comporta até três óbitos e está adequada às normas”, afirma em nota o hospital.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *